Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2011

Festa de Santa Maria madalena - 30-1-2011

Imagem

UNIÃO DOS PALMARES – Bloco Franga será batizado pelo Pinto da Madrugada

Imagem
Silvio Sarmento informando que na manhã de domingo, 13 de fevereiro, acontecerá o batizado da Franga pelo Pinto da Madrugada-Maceió, com desfile do bloco pelas ruas (orquestra do Maestro Jaégero com 70 músicos) e finalizando com uma concentração na Praça Basiliano Sarmento onde acontecerá a cerimônia de batismo.

Sábado, dia 26 de fevereiro, a Franga vai participar do desfile do Pinto da Madrugada em Maceió (primeiro bloco palmarino a participar deste evento). Na sexta, dia 4 de março, participa do desfile de abertura do Carnaval local junto a todos os blocos da cidade.

No sábado, dia 5 de março, à noite, na quadra municipal, a escolha da Franga Rainha 2011 na categoria gay (os autênticos) e na categoria transformista e logo após acontecerá o tradicional desfile da Franga pelas ruas da cidade.

No domingo, dia 6 de março, a Franga participa do concurso de blocos na Avenida e na segunda, dia 7 de março, à tarde, encerra a sua frangagem com mais um desfile pelas ruas de União dos Palmar…

Mais flagrantes da Festa da Padroeira de União dos Palmares...

Imagem

Flagrantes de ontem à noite, na festa de Santa Maria Madalena

Imagem
Primeiros flagrantes que registrei ontem, na festa de Santa Maria Madalena...

O mundo de Sophia Loren e outros bichos ...

Imagem
Olívia de Cássia – jornalista

Sophia Loren, uma das minhas gatas, está grávida. Em breve ela terá sua cria e me dará ‘netinhos’. Toda noite Sophia vai dormir comigo, pede cafuné e muitas vezes durmo com ela embaixo do meu braço e fazendo o danado do carinho solicitado.

Antes de envenenarem meus outros gatos: o John Lenon, o Benjamin e a Nana Caymi, eles também iam dormir no meu colchão. Os gatos têm sabedoria e personalidade. Cada um tem seu jeitinho, suas maneiras. Da mesma forma que nós humanos, os animais ditos irracionais são assim também.

Depois dessa barriga, Sophia se retraiu um pouco, como se a prenhez tivesse lhe dado mais maturidade mesmo. Ela já não brinca feito uma criança.

Depois que os outros se foram agora tenho três fêmeas: Janis Joplin operada, Lolita no cio e a Sophia grávida. Cada uma delas tem seu estilo, sua personalidade. A gente aprende com os animais, nos dão lições todos os dias.


Malu e Oto são um caso à parte, são meus cães. Outro dia eu estava…

Festa de Santa Maria Madalena é transformada em documentário

Imagem
Foto de Olívia de Cássia
© João Paulo Farias - União dos Palmares – AL

Uma produção em forma de documentário, contará a história dos festejos da padroeira de União dos Palmares, Santa Maria Madalena.

O longa metragem produzido pela ex-vereadora e jornalista, Genisete de Lucena será apresentado em meio as comemorações da padroeira dos palmarinos.

Em pouco mais de 01 hora, o filme traz aos seus respectivos telespectadores, diversos depoimentos de pessoas que contribuíram com essa festa, como também imagens antigas e filmagens dos festejos do ano de 2010.

Foram vários meses de trabalho e pesquisa, tentando de toda a forma trazer ao público um dos maiores patrimônios culturais deste município e uma das maiores festas do interior de Alagoas. São 176 anos de tradição, ressaltou Genisete Lucena.

O documentário estará disponível aos fieis e população palmarina, no valor de R$ 2,00 para cobrir os custos e será uma forma de resgatar e regis…

Foram tantos...

Imagem
Olívia de Cássia - jornalista

Quantas vezes eu tive que me refugiar no escuro do meu quarto, para que ninguém descobrisse as minhas tristezas, decepções e mal desempenho na vida? Foram tantas as feridas não-cicatrizadas que elas abriram fendas profundas em minha alma.

Eu podia me sentir livre naquele território que era só meu. Livre para desabafar minhas mágoas, confidenciar no meu diário minha rotina, transformar aquele pequeno espaço num lugar só meu. Sem proibições ali.

Foram tantos os dias de quebranto e desencanto que eu pensava que não fosse mais capaz de existir sem a presença do ser amado!

Quantos amores incompletos não-vividos eu presenciei, sempre em busca da felicidade e da concretização daqueles sonhos inacabados, interrompidos e desfeitos!

Hoje não tenho mais paixões, amores carnais ou pretensos candidatos a tal. Não me sinto mais diminuída, mal-amada nem preterida por ninguém.

Não busco mais ansiosamente a presença de quem quer que seja para completar a minha vida. Si…

A expectativa

Imagem
Olívia de Cássia – Jornalista

Já passa da uma hora da manhã dessa madrugada do dia 25 de janeiro. A adrenalina ainda está alta. Chego do trabalho e ainda fico acordada vendo um filme na Tela Quente. Quem disse que o sono chegou, acostumada que estou a ficar até tarde na net? Mas com o computador pifado de novo, o jeito é arriscar por aqui e esperar o sono chegar.

Na Assembleia Legislativa não vai acontecer a sessão desta tarde, que aprovaria o tão polêmico Orçamento do Estado para este ano. Já se sabia disso, tem um tempinho que a imprensa vem comentando, por conta do impasse gerado pelos deputados querendo mais verba do governo do Estado.

Cada dia que passa eles querem mais dinheiro, isso cheira a extorsão. Querem que o Executivo aumente o duodécimo da Casa de Tavares Bastos. O Orçamento já deveria ter sido votado desde dezembro do ano passado, que era a data-limite prevista no Regimento Interno da Casa.

A situação na ALE é de incerteza por parte de todos: funcionários e comiss…

Trabalho infantil

Imagem
Olívia de Cássia - Jornalista

O trabalho infantil é proibido por lei e é comum em países subdesenvolvidos. No Brasil nas regiões mais pobres este trabalho é bastante comum. A maioria das vezes ocorre devido à necessidade de ajudar financeiramente a família. Muitas destas famílias são geralmente de pessoas pobres que possuem muitos filhos.

Tudo bem, é lei e tem mais é que ser obedecida, mas há muitas polêmicas sobre essa questão. Estudos indicam que, na área urbana, a taxa de participação de menores no trabalho inicialmente decresce com a escolaridade, sendo maior entre aqueles que nunca frequentaram escola do que entre os que têm de um a quatro anos de estudos completos.

Quem criou essa lei acho que teve a boa intenção de proteger o menor, mas a questão é discutível e não fica por aí. Eu avalio que se esse trabalho atrapalha o desenvolvimento da criança, seus estudos e se gera a violência, a decisão é positiva. No entanto, não é o que a gente percebe aqui.

Quando eu era criança aj…

Violência que me assusta

Imagem
Olívia de Cássia – jornalista

Mesmo convivendo diariamente com o principal ingrediente do jornalismo que é a notícia, ainda não me acostumei com acontecimentos do cotidiano de quem milita e vive no jornalismo no que diz respeito à violência. São casos escabrosos e assustadores que nos levam ao questionamento diário.

O crescimento das agressões e mortes em nosso estado e em nosso País é assustador: violência doméstica, contra mulheres, crianças e velhos. As causas apontadas pelos estudiosos são diversas: falta de oportunidade, desequilíbrios psicológicos, desigualdade, desemprego e outros fatores afins. Mas o envolvimento de jovens com drogas como o crack tem sido o principal responsável por isso.

A violência cotidiana me assusta e avalio que ela exista não só pela falta de oportunidades que os jovens não tem, pela pobreza e ou pelo desemprego. Dizem que a violência que mata e que destrói está muito mais para sintoma social do que doença social. Aliás são várias as doenças sociais que p…

É noite de verão...

Imagem
Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

É noite de verão,
Tempo de sol, de mar,
Tempo de viver intensamente
Cada minuto da vida...

É noite de verão.

No verão as noites são mais curtas,
Os dias se tornam mais vivos,
mais quentes, alegres e vibrantes ...

Já não tenho tanto tempo de viver, de sonhar...
É verão mais uma vez.

Já vivi muitos verões...
Muitos deles se passaram
É verão mais uma vez...

Mais memória do fundo do baú...

Imagem
Na primeira foto, ainda no Rio (1980) e na segunda foto, década de 70, desfile do Mário Gomes, de pelotão, com Benedita Agra...


Aos 20 anos, no Rio de Janeiro, posando para as lentes de madrinha Rita, na Penha...


Na primeira foto, final da década de 60, dama de honra do casamento de tio Antônio Paes e tia Hermínia. Na segunda foto, eu e Rita, na Praça Antenor de Menonça Uchôa, década de 70...


Na primeira foto, de minha autoria, minha saudosa mãe, na década de 70, no jardim da nossa casa, na Tavares Bastos. Na segunda foto, década de 90, eu e minha cunhada Sônia, na casa de Niviane, no Osman Loureiro. Aniversário ...


Na prmeira foto, 1980, no Rio de Janeiro, casa da minha tia Noêmia Paes; a segunda foto é da casinha onde nasci, na saudosa Rua da Ponte. Aí já estava reformada, mas quando eu nasci tinha portas de madeira que ficaram por muitos anos...

Festival de Cultura em União

Olívia de Cássia – jornalista

Neste domingo, 23, além da procissão luminosa da bandeira, atividade da festa de Santa Maria Madalena, haverá em União dos Palmares o Festival da Cultura Popular, promovido pela Secretaria de Cultura do município.

O evento está previsto para ter início às 15 horas, na Praça Basiliano Sarmento e terá apresentação de trios de forró, coco de roda, violeiros, rabequeiros, capoeiristas, aboiadores, cavaquistas, sanfoneiros e outros artistas, como o mestre Caboclinho do Norte, que completou 68 anos de idade, hoje, 18 de janeiro.

Para fechar o evento, às 22 horas, logo após a Procissão Luminosa da Bandeira, a dupla Os Nonatos se apresenta no palco montado na Praça.

(Com informações do blog A Terra da Liberdade)

Procissão do mastro

Imagem
Olívia de Cássia – jornalista
(Texto e fotos)

Como acontece há 176 anos, os católicos palmarinos acompanharam a procissão do mastro de Santa Maria Madalena, neste domingo, 16. Apesar de eu não estar muito disposta fisicamente, resolvi enfrentar o desafio e fazer o percurso, quase todo correndo. Pensei que não fosse aguentar tanta adrenalina, mas segurei a onda, agarrei na mão de minha amiga Kelly e lá fomos nós, dando vivas a Santa Maria Madalena, nossa excelsa padroeira.

Não tenho esse dado com precisão, mas avalio que são quase dois quilômetros de percurso. É muito chão para uma velhinha como eu acompanhar aquela correria toda. Estou toda quebrada, as pernas já não têm tanta firmeza, mas cumpri com minha obrigação de cristã, católica, que acredita nos poderes de Santa Maria Madalena e na tradição das suas comemorações.

Suamos em bica e quando chegamos à praça, estava todo mundo cansado e emocionado. O erguimento do mastro é sempre um rito de passagem para os palmarinos. É qu…

Pensamento num dia de sábado...

Imagem
Olívia de Cássia – jornalista

Início da noite de sábado, 15 de janeiro de 2011, metade do mês já se foi. Estou tão indisposta por conta da virose que não tenho ânimo para nada mesmo, mas tenho ‘que sustentar o talo’, como dizia minha saudosa mãe. Estou tão sensível que me comovo até com cenas de novelas; injustiças ainda me emocionam e me levam às lágrimas.

Sinto-me tão tola e tão indefesa, diante de certas questões, feito uma criança, nesse mundo tão rude e tão materialista. Penso numa maneira de fugir um pouco disso tudo. Estou de pés e mãos atadas, ainda mais com essa falta de grana que não permite nem um tantinho de diversão pra gente esquecer um pouco as adversidades da vida.

Entendo porque aquela história difundida por aí e aplicada por tanto político é tão certeira: “Ao povo, diversão e circo”. Com esses ingredientes dá para esquecer os problemas, as injustiças e a maldade do mundo.

Mas tenho que reagir a esse quebranto que toma conta do meu corpo. Amanhã tem procissão do m…

Big Brother estimula baixaria na televisão

Imagem
Olívia de Cássia – jornalista

Está tudo liberado na décima primeira edição do Big Brother Brasil, da Rede Globo. O anúncio foi feito pelo diretor José Bonifácio, o Boninho, em seu Twitter, dias antes de o programa começar. Ontem liguei a televisão, enquanto preparava um lanche depois que cheguei da Tribuna Independente e estava sendo exibido o programa: um dos piores que a Globo já exibiu, na minha opinião.

Antigamente eu acompanhava a programação televisiva brasileira com muita assiduidade. Com o tempo e as ocupações diárias, o hábito de ver novelas e programas, principalmente na principal emissora de TV do País, foi minguando aos poucos. Hoje eu me limito a ver o noticiário, local e o nacional, de vez em quando o Programa do Jô, que também já está ficando cansativo, algumas vezes o Altas Horas e O Caldeirão do Huck ou o Vídeo Show. E só.

O modelo de televisão no Brasil parece que está se esgotando. Nos anos 60 e 70, como era uma novidade no País, as famílias se reuniam para ver a pr…

Faz muito tempo ...

Imagem
Olívia de Cássia – jornalista

Rebuscando novamente o baú das minhas memórias, encontrei essas fotos que eu já tinha postado no meu Orkut. Para quem não viveu nessa época, é de estranhar alguns ambientes de União dos Palmares ou de Maceió. Na foto lá de baixo, em preto-e-branco, de autoria de Ladorvane Cabral, estamos no Carnaval, década de 70, se não me engano, o ano foi o de 75 ou 76. As roupas dos blocos que frequantavam a Palmarina, em União dos Palmares, eram variadas.

Nessa aí, em plena ditadura militar, esse pano era cor laranja e a frase de efeito “O petróleo é nosso” foi uma frase que se tornou o lema da Campanha do Petróleo, patrocinada pelo Centro de Estudos e Defesa do Petróleo e promovida por nacionalistas, que culminou na criação da empresa petrolífera nacional, a Petrobras. Nós nem sabíamos o que estávamos consumindo na época.

Comecei a freqüentar a Palmarina ainda menina, fosse nas matinês de Carnaval com minha tia Ozória Paes de Freitas, ou à noite com os p…

Revirando o fundo do baú, encontrei essas relíquias...

Imagem
Eu, aos dez anos, com minha prima Rita de Cássia, na Praça Antenor de Mendonça Uchôa. Na segunda foto: Petrúcio, Margarete Leão e eu, na Rua da Ponte...


Na primeira foto: meu pai, na garagem da nossa casa, na Rua Tavares Bastos, com meus sobrinhos Mácia Maria, João Emanuel e Márcio José. Na segunda foto, meu irmão Paulinho com uma amiga, na porta da mercearia do meu pai, na saudosa Rua da Ponte...


Na primeira foto, meu irmão Petrônio, minha sobrinha Raynara e meu ex-companheiro Beron, na orla lagunar, em Maceió, logo quando foram construídas as barracas. Na segunda foto, Carnaval na Palmarina, em União dos Palmares, década de 70...Bloco O Petróleo é nosso...

Fotos de minha autoria e/ou do meu acervo particular...