segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Dia da Consciência Negra foi comemorado com festas e inauguração, em União dos Palmares

Fotos de Olívia de Cássia
Representante da Fundação Palmares reclamou de boicote por parte da Prefeitura às atividades na Serra da Barriga

Olívia de Cássia – Repórter

O Dia da Consciência Negra, comemorado neste domingo, 20, em homenagem ao herói nacional Zumbi, foi de muita festa, discursos, corrida, inauguração e shows, em União dos Palmares. A Serra da Barriga foi o centro das atenções do movimento negro, simpatizantes e ativistas culturais do País e do mundo e local onde se apresentaram vários grupos culturais do Estado.

Na abertura do evento, a representante do Escritório da Fundação Palmares em Alagoas, Genisete de Lucena Sarmento, que assumiu o cargo há três meses, disse que houve boicote por parte da prefeitura de União às atividades na Serra. Genisete pediu desculpas aos presentes pelos atropelos ocorridos no evento e disse que ano que vem a situação vai mudar e que o dia 20 será construído a partir do dia 6 de fevereiro.

No palanque da festa, no Parque Memorial, Genisete desabafou: “Estamos sofrendo boicote do gestor de União dos Palmares. Hoje é um dia de celebração, estamos sendo boicotados pelo prefeito do município. Parece que vivemos em um engenho e em uma senzala. Quero dar boas vindas a todos e todas e fazer o convite da celebração e libertação”, disse ela, agradecendo à parceria do governo do Estado, na pessoa do secretário de Cultura Osvaldo Viégas, que representou o governador do Estado na festa.

A reclamação da representante do Escritório da Fundação Palmares foi pelo não comparecimento do prefeito Areski Omena de Freitas, o Kil, ao evento na Serra. No sábado, segundo informações recebidas pela reportagem, o prefeito teria feito uma reunião com assessores e segundo se comentou na cidade, Kil proibiu que fossem à Serra prestigiar o evento.

Areski não mandou representante e nem o secretário de Cultura, Elson Davi, compareceu, mesmo num evento do porte da celebração do Dia da Consciência Negra. A reportagem apurou que neste domingo, tanto o prefeito quanto o secretário estavam na cidade, ao lado do ex-governador Manoel Gomes de Barros, na inauguração da estátua de Zumbi, na Praça da Alimentação.

No sábado à noite, o prefeito e o secretário estavam na Praça Basiliano Sarmento. O secretário como vocalista da banda Escrúpulo Douda e o prefeito no camarote armado para o evento, em frente ao palanque da praça, onde se apresentaram bandas patrocinadas pela Prefeitura de União.


O secretário de Cultura, Osvaldo Viégas, não quis comentar o assunto e disse que o prefeito Kil sempre teve um bom relacionamento com o Governo do Estado. “Prefiro não fazer juízo de valor sobre a questão, primeiro quero me informar dos fatos. Fiquei surpreso com a informação, pois sempre tivermos um bom relacionamento (o governo do Estado), com o prefeito Kil”.

Viégas disse que o Governo do Estado não compactua com qualquer tipo de preconceito. “Celebramos hoje Zumbi, o herói nacional. A sociedade precisa melhorar e está melhorando. Vivemos um tempo de uma sociedade sem preconceito e ano que vem será o centenário da quebra de Xangó (O Quebra, onde terreiros foram destruídos no Estado). Diversidade é o patrimônio que nós temos. Viva a luta libertária de Zumbi”, reforçou Viégas.

O deputado João Henrique Caldas (PTN) esteve na Serra da Barriga com sua assessoria e comentou o incidente: “Esse é um momento suprapartidário, é o momento de encontro da liberdade, de juntar as energias para o bem. É um absurdo não ver quase nenhuma autoridade aqui”, disse JHC. O deputado do PTN disse também que falta comprometimento dos homens públicos com a causa de Zumbi. Ele avalia que o local deve ser visitado e valorizado todos os dias e não só no dia 20 de novembro.

“Este ano é a terceira vez que venho à Terra de Zumbi. Ele foi um guerreiro sobre o poder de uma coroa que usava meios arbitrários, ele era um guerreiro”, repete João Henrique, que por meio de sua assessoria distribuiu um panfleto no local, reproduzindo um outdoor que foi colocado em vários locais na subida da Serra da Barriga, onde diz que “devemos ter consciência que somos iguais não só hoje, mas todos os dias”.

A reportagem tentou contato com o prefeito e o secretário Elson Davi, mas os telefones estavam desligados.

ATIVIDADES NA SERRA DA BARRIGA COMEÇARAM CEDO


As atividades comemorativas ao herói do Quilombo dos Palmares, o maior e mais importante que existiu no País, começaram logo cedinho, às quatro da manhã, quando representantes de religiões de matrizes africanas fizeram o culto aos orixás, já tradicional na festa da Consciência Negra.

Pela manhã teve uma corrida onde os atletas saíram da Prefeitura de União e percorreram nove quilômetroso até o topo da serra. O vencedor foi John Lenon Fabiano da Silva, que chegou em primeiro lugar. Ele levou 32 minutos para chegar à Serra.

Uma reclamção de alguns organizadores da festa da Consciência Negra é que por conta do boicote do prefeito ao evento, ao invés de as medalhas serem entregues no palanque, ou dentro do parque, foram entregues do lado de fora do portal, gerando um certo constrangimento para os atletas, que se sentiram desprestitiados.

O Parque Memorial Quilombo dos Palmares estava todo tematizado: em lugares estratégicos do local foram colocados manequins vestidos e paramentados com os trajes representando cada orixá ou entidade religiosa da matriz africana, chamando a atenção dos visitantes que fotografaram e se deixaram fotografar próximo de cada um.

Um cortejo de diversos seguidores das religiões de matrizes africanas percorreu um trecho da subida da Serra da Barriga e finalizou no Parque. A cerimônia contou com a participação de homens, mulheres, autoridades, pais e mães de santo, seguidores da religião afro e crianças que saudaram os visitantes com banho de cheiro e muito batuque. O cortejo religioso terminou às 9h50, quando foi dado início à festa, com o cerimonial no palanque foi armado para apresentações de grupos culturais.

Faltou energia várias vezes no palanque e o fornecimento de água também estava precário, o que dificultou a limpeza dos banheiros.

A representante do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Sandra Lira, disse que o 20 de novembro é significativo para a história mundial e um marco da história da luta de Zumbi. “Devemos reconhecer a nossa multiculturalidade, o momento é de representação da história da humanidade e da construção de uma sociedade mais justa”, destacou Sandra Lira.

A superintendente do Incra, Lenilda Lima, disse que o Incra fez recentemente a primeira imissão de possa da comunidade Tabacaria, uma comunidade quilombola e observou que há no Estado 66 comunidades reconhecidas nesse patamar.

Já a secretária de Cultura de Viçosa, Carina Padilha, observou que Viçosa teve participação na história do Quilombo dos Palmares e que espera que as leis sejam realmente cumpridas por essa causa e que a história alcance um patamar maior.

A ialorixá Mãe Neide Oyá d´Oxum deu a bênção aos presentes convidando outras representantes da religião para subirem ao palanque. Mãe Neide também comandou a banda composta por crianças do povoado da Santa Fé, que participaram do cortejo religioso e fizeram várias apresentações no evento.

Nenhum comentário: