sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Roda viva

Olívia de Cássia - jornalista

De vez em quando dá aquela sensação de aperto no peito, vontade de chorar, desabafar, pedir colo. Talvez tenha sido o sonho que tive já hoje de madrugada, com o dia amanhecendo. Sonhei com mamãe. Fazia tanto tempo que eu não sonhava com ela que até estranhei e acordei conversando com dona Antônia.

Estávamos numa casa velha, como se fosse uma escola sem uso para esse fim e ela me perguntava rindo se eu ia para a faculdade hoje, enquanto fazia tarefas domésticas como se estivesse estendendo roupas brancas num varal: era mais ou menos esse o cenário; pelo menos o que me recordo.

No sonho eu havia combinado, não sei se com meus irmãos ou com amigos, que depois da faculdade viajaria para União dos Palmares. Coisa mais estranha essa! Aí eu dizia a mamãe  que não ia mais para a faculdade ou viajar; só depois que ela saísse; pois eu ia ficar ali conversando com ela.

Nessa parte do sonho acordei e passei o dia com uma saudade danada, embora não tenha pensado muito nisso durante o dia todo, assoberbada que estava de trabalho. Quando chego agora à noite em casa, sento em frente à TV e começo a chorar, assim do nada, pedindo a Deus proteção, saúde e coragem para continuar lutando, para ser uma pessoa melhor. Foi aí  que eu retomei a lembrança do sonho.

Ligo o notebook e minha gata deita no teclado, balança o rabinho e começa a brincar, como que para me consolar do sentimento de vazio que tenho. Tem horas que a gente se pega sensível, carente de pai e de mãe, mesmo já tendo a idade de ser avó.

Prometi a Malu e Oto que amanhã me dedico mais a eles: no banho, na arrumação da casa. Bruce Wayne não se conforma com a proximidade da irmã Janis Joplin e fica com ciúmes. É noite de sexta-feira, em outros tempos minha rotina seria diferente da de hoje.

Vida que vai seguindo; não podemos parar. Ouço uma canção romântica e penso em cenas suaves, que poderiam amenizar esse sentimento de aperto. Vou continuar lutando por dias melhores: é justo. Boa noite.

Santuário da Divina Misericórdia se prepara para missa de louvor

Olívia de Cássia – Repórter

O Santuário Diocesano da Divina Misericórdia de Maceió, no antigo Papódromo, no bairro da Virgem dos Pobres, recebeu asfaltamento e melhorias e já se prepara para a segunda edição da Missa da Misericórdia, que acontece neste domingo, 1º de setembro, às 15h, com celebração do padre Augusto Jorge Pessoa, da Paróquia do Perpétuo Socorro, coordenador do Santuário.

Segundo o padre, o local está sendo articulado para melhorar cada vez mais. “Me surpreendeu a primeira edição da missa; eu tinha previsto a participação de 1.500 pessoas, e me surpreendi com 3.100 católicos louvando e participando da missa, foi lindo. Será um evento de louvor e pregação”, observou.

Augusto Jorge informa ainda que a igreja está realizando algumas atividades na comunidade da Virgem dos Pobres, com distribuição de sopão e neste sábado haverá, a partir das 2h30, o cadastramento de médicos voluntários para atuarem na área.

O padre destaca que foi criado uma fan Page para divulgar as atividades do Santuário Diocesano da Divina Misericórdia, no endereço https://www.facebook.com/santuariomaceio?fref=ts, onde estão sendo disponibilizadas as fotos dos eventos realizados. 

Setor agrícola e servidores discutem consequências de demissões na Carhp

Fotos de Olívia de Cássia
Olívia de Cássia – Ascom

Lideranças do setor agrícola do Estado e servidores da Companhia Alagoana de Recursos Humanos e Patrimoniais (Carhp) debateram na manhã desta sexta-feira, 30, no plenário da Assembleia Legislativa, as demissões que estão sendo promovidas na empresa pelo Governo do Estado e as consequências para a pesquisa e a agricultura com a demissão de técnicos. 

O deputado Ronaldo Medeiros (PT), autor do requerimento propondo a sessão, observou que teme pela demissão dos funcionários da Carhp e pelo funcionamento da Emater (Instituto de Inovação para o Desenvolvimento Rural Sustentável de Alagoas), recriada em 2011, responsável pelo fornecimento da assistência técnica no campo e que depende dos servidores e pesquisadores da Carhp para funcionar.

“Não poderíamos deixar de discutir um tema tão importante como esse e sempre repito que defendo quem trabalha. Venho acompanhando a questão dos servidores da Carhp e a gente pede que seja verificado pelo governo, caso a caso, para não haver prejuízos. Eu tenho admiração pelos servidores,  que trabalham em pesquisas importantes para o setor agrícola e pela qualidade dos serviços”, argumentou o deputado.

Medeiros destacou ainda que defende pessoas que trabalham, “envolvidas em pesquisas importantes para a agricultura no Estado, pois existem vários convênios com o Governo Federal, que envolve os técnicos, como os projetos de sementes que vão ficar paralisados se esse pessoal for demitido. São esses servidores da Carhp que mantêm a Emater funcionando: sem eles é decretar a falência da empresa”, pontuou.

O vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura, Péricles Gabriel , disse que o governo precisa encontrar uma saída plausível para a questão dos servidores da Carhp que estão em processo de demissão, pois, segundo ele quem perde é a sociedade alagoana.

“O governo toma determinadas atitudes e não verifica algumas questões: não está fazendo planejamento  (das demissões) e prejudica dezenas de pessoas. Isso aconteceu em vários escritórios da Emater no Estado. São 193 técnicos e 80 estão em fase de demissão. Essas pessoas são capacitadas e quem vai substituir num primeiro momento?”, indaga o vice-presidente do Sindagro.

Péricles Gabriel observou ainda que 90% das pessoas que estão no Programa do Leite do Estado são servidores da Carhp. “É preciso que seja feito concurso público para a agricultura. Tem funcionário com 30 anos, às vésperas de sair da Secretaria. O governo contrata 43 cargos comissionados, mas não substitui os técnicos”, reclama.

O presidente do Sindicato dos Gráficos de Alagoas, José Paulo Gabriel, defendeu que o governo faça concurso público para todas as áreas, “para não trazer os prejuízos que aí estão”. Paulo Gabriel disse que na Gráfica Oficial estão contratando empresas para substituir os gráficos e outros servidores, sem a qualificação devida.

“E pior. Irregular, porque não pode sublocar profissionais para atividades fins. Por que fazer errado? O correto seria reavaliar com critérios as demissões que foram feitas e cessar imediatamente com as próximas, para que se faça uma consulta junto aos gestores dos órgãos envolvidos, coisa que eles não foram consultados, para que esses órgãos e os Estado não sofram as consequências perversas que parte dessas demissões estão causando”, pontuou Gabriel.

O líder sindical Chico da Capial destacou que a Casa de Tavares Bastos precisa ter conhecimento de que se o governo demitir esses funcionários, “o dinheiro dos projetos para a agricultura não entra na conta do Estado. Tenho certeza que o governo é sensível e não é possível que qualquer coisa que aconteça no Estado, tem que mexer com o setor agrícola. É importante que o Sindicato, deputados e o movimento agrícola, junto à bancada federal, fechem a Secretaria da Agricultura até o governo tomar uma posição”, sugeriu.

O secretário de Gestão Pública, Alexandre Lages, disse que a questão das demissões vem sendo discutida pelo Governo do Estado desde 2010, já que a Carhp foi constituída para comportar servidores das antigas empresas extintas do
Estado, no sentido de não cometer injustiças. “O governo procurou levantar a questão de pessoal para iniciar um processo dos que já estavam aposentados, observando a Lei de Responsabilidade Fiscal”, observou.

Alexandre Lages argumentou que todas as demandas, negociações para que fossem dados todos os direitos  adquiridos, levantamento de tempo de aposentadoria de cada um. “A maioria dos estados da federação estás acima do permitido pela LRF. O governo procurou garantir o pagamento integral de todas as demissões e verificar se falta algo que o Estado possa suprir”, observou o secretário.

Participaram da sessão, além do deputado Ronaldo Medeiros (PT), o deputado Inácio Loiola (PSDB), o presidente do Sindagro, Sebastião Alexandre dos Santos, o presidente da Carhp, Élcio Tenório, secretário de Gestão Pública, Alexandre Lages, Wagner Simas, Associação dos Praças, José Paulo Gabriel, Sindicato dos Gráficos de Alagoas, Chico da Capial, Valmiro Gomes da Costa, Gildo Arquimínio de Carvalho, Federação dos Aposentados,  entre outras lideranças do setor da agricultura do Estado.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Defesa Civil faz vistoria em áreas de risco de União dos Palmares

Por João Paulo Farias – Texto e Fotos - O Relâmpago

A Defesa Civil começou na manhã desta quarta-feira, 28, a vistoriar as áreas de risco do município, localizadas às margens do Rio Mundaú e Riacho Canabrava. A ação visa impedir novas construções e invasões nas antigas residências, atingidas pelas enchentes.

Além da prevenção de tragédias, há um projeto do governo municipal para revitalizar essas áreas, no bairro Roberto Correia de Araújo, distrito de Rocha Cavalcante e Várzea Grande. Nesses locais centenas de residências estão sendo demolidas; as famílias foram beneficiadas pelo programa da reconstrução do governo federal.

“O projeto de revitalização será um trabalho conjunto da Defesa Civil, secretarias de meio ambiente, turismo e cultura, com o setor de planejamento e políticas públicas do município”, disse a coordenadora da DC, Nádia Seabra. A equipe esteve visitando essas localidades.


Nádia Seabra coordenadora da Defesa Civil

Segundo a coordenadora, a ação de demolição das casas atende a Lei Federal 12.608 que discorre sobre os deveres da Defesa Civil em adotar as medidas necessárias à redução dos riscos de desastre nas cidades.

Segundo o assessor do setor de planejamento e políticas públicas, Francisco Viana, “após o levantamento técnico essas áreas serão divididas em locais para lazer, reflorestamento entre outros”, disse Francisco Viana. Na zona rural, na localidade Jacinto, só demolição das casas e no Caípe, demolição seguida de reflorestamento.

Um relatório da visita técnica será elaborado pela Defesa Civil e encaminhado para análise do prefeito Beto Baía (PSD).

O preconceito não acabou

Olívia de Cássia – jornalista

Vi com muita preocupação a demonstração de intolerância e xenofobia de alguns médicos brasileiros e também nas redes sociais diante da chegada dos profissionais cubanos ao Brasil, para atuarem no Programa Mais Médicos do Governo Federal. O gesto dos nossos ‘pobres de espírito’ é o retrato de uma sociedade elitista, racista e intolerante, como se fossem meninos ranzinzas que alguém tivesse lhes tirado um brinquedo.

A imagem daquele médico negro cubano sendo vaiado me deu arrepios. Será que estamos vivendo um retrocesso social em que as pessoas estão se voltando para o próprio umbigo e não se importam com o semelhante? Que profissionais são esses que fazem um juramento no ato da formatura prometendo salvar vidas e o que a gente percebe é uma parte que pensa apenas em ganhar dinheiro?

Tenho muitos amigos de infância que são médicos e bons profissionais, dedicados, preocupados em exercer a profissão que abarcaram com ética e respeito ao próximo, mas esse tipo de gente que  vi na cena da chegada dos cubanos é digna de repúdio. Tenho escutado muitas reclamações de pacientes que vão a especialistas e esses nem sequer os olham nos olhos, muito menos os examinam.

Digo isso porque já aconteceu comigo e fiquei indignada diante de uma ginecologista que, numa primeira consulta, apenas escrevia no papel, de cabeça baixa e quando terminou de me questionar disse que eu voltasse quando os exames estivessem prontos: nunca mais eu voltei lá.

Os médicos que vieram de Cuba não vão tirar o bolo de ninguém: apenas vão atuar em um programa em locais onde nossos ilustres profissionais se negaram a ir, porque não eram cidades balneárias onde pudessem se divertir entre uma folga e outra.

Dizer que o Brasil é uma democracia racial é uma piada, apesar de nós sermos uma bela mistura de raças que vieram povoar o país. Que nossos ilustres relembrem o que estudaram na escola, nos primeiros anos, que somos descendentes de negros, índios e brancos. Uma mistura, um caldo de cultura.

O Governo Federal implantou o Mais Médicos como uma resposta ‘ao acordar das ruas’, para dar uma satisfação à onda de protestos que aconteceram no mês de junho, em várias partes do país. Há muitas críticas com relação aos programas sociais do governo, mas a gente tem que ser crítico consciente, vendo os erros e os acertos e observando onde se pode melhorar. Estamos aqui para isso e não para demonstrar incivilidade e barbarismo.

O Brasil foi o último a se ver livre da escravidão. Vivemos 400 anos sob um regime tirânico, numa sociedade escravocrata onde os negros eram vistos como burros de carga. “O preconceito e o racismo de alguns é porque ainda eles têm saudade da casa grande e da senzala”, disse o secretário de gestão estratégica e participativa do Ministério da Saúde, Odorico Monteiro, à Folha de São Paulo e eu não tenho dúvidas.

E para quem já estava esquecido ou não sabe ainda, é bom lembrar: apesar das críticas, a decisão do Governo Federal de importar médicos estrangeiros, em especial de Cuba, não é nova e já foi usada no Brasil por gestores do PSDB. Em 1999, quando Fernando Henrique Cardoso (PSDB) era presidente da República, pelo menos quatro estados trouxeram cubanos para trabalhar em unidades de saúde. Não teve vaia e nem protesto naquela época: por que será?

O motivo alegado pelo então governo foi o mesmo da presidente Dilma Rousseff (PT), de que os locais não funcionavam por falta de profissionais. Agora, ilustres parlamentares de oposição ao governo do PT classificaram o programa ‘ Mais Médicos’ como irresponsável e eleitoreiro. E ainda rotularam a medida da presidente Dilma como “indigna, indecorosa e irresponsável”. Vá entender esse povo. Paz e bem nessa terra de Zumbi, Dandara e Abdias Nascimento e de tantos líderes negros que lutaram para nos ver livre de preconceito. Bom dia e fiquem com Deus.


segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Apesar da diminuição dos casos, dengue ainda é um problema no Estado

 Fotos: Sandro Lima

Olívia de Cássia – Repórter

A dengue é uma doença grave e que pode matar se não for cuidada com rapidez e diagnosticada com eficiência. Ela atinge mais de cem mil pessoas por ano no mundo e no Brasil é uma das de maior impacto. 

Em Alagoas, a doença teve redução de casos este ano, mas a preocupação das autoridades da área de saúde com relação ao problema continua, devido a esse período de tempo inconstante de chuva e sol, que propicia o acúmulo de águas e a proliferação do Aedes aegypti, transmissor da doença. 

Segundo a superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual (Sesau), Sandra Tenório Accioly Canuto, em 2012 o Estado teve 28.271 casos e 13 óbitos confirmados: em 2013, no mesmo período, 9.347 casos e dois óbitos. “Isso demonstra uma redução de mais de 66% no número de casos e de 85% de óbitos”, observa.

Anualmente todos os municípios do Estado são afetados pela doença. Este ano, até o momento, segundo Sandra Canuto, apenas Penedo, Coité do Nóia e Maragogi apresentaram epidemia.  A superintendente em Saúde observa que nesses oito meses do ano aconteceram óbitos por conta da dengue nos municípios de Dois Riachos e Estrela de Alagoas.

Mesmo com a redução dos casos no Estado observado pela superintendente Sandra Canuto, a doença ainda é um problema devido à falta de cuidados da população nos seguintes aspectos: com relação ao descarte de pneus, casas com piscinas que são pouco usadas nesse período, lixo em terrenos baldios, ferros-velhos e borracharias, que podem acumular água, entre outros locais.

FISCALIZAÇÃO PREVENTIVA


Preocupada com os focos de mosquito que podem aparecer nessa época do ano, no próximo dia 26, uma ação integrada entre Ministério Público (MP), Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Slum), Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) Batalhão de Policiamento da Capital e outras instituições do Estado, denominada Fiscalização Preventiva Integrada (FPI) vai identificar focos de dengue e pretende atingir cem alvos, num primeiro momento.

A informação é do diretor de Operações da Slum, Pablo Ângelo. Segundo ele, a Slum já notificou 27 donos de terrenos baldios e 11 já se adequaram à lei, que diz que todo proprietário tem que mantê-lo limpo e cercado. A lei também determina que o proprietário tem cinco dias para começar a limpeza do terreno e 30 para concluir.

 “Aquele que não cumprir será autuado; a prefeitura vai fazer a limpeza do local e fazer a cobrança no IPTU”, observa. Pablo Ângelo diz ainda que cada secretaria tem a sua competência dentro da Fiscalização Preventiva.

Já Manoel Gomes, que coordena a equipe da Secretaria Municipal de Saúde de Maceió, destaca que a campanha de prevenção e combate à dengue está ativa e que vai participar juntamente com as outras secretarias da FPI. 

Ele ressalta que os bairros nobres da capital alagoana são os locais mais difíceis de fazer uma campanha de conscientização, porque muitos apartamentos estão fechados. “A população deve ter a preocupação e ter cuidado com os focos de mosquito”, observa o coordenador.

Infectologista alerta a população para os sintomas da doença

A dengue é uma doença que tem um período de incubação de três dias para se manifestar e os sintomas geralmente também duram três dias, na maioria das pessoas. Segundo a médica infectologista Adriana Ávila, se o problema se agravar a pessoa tem que fazer todos os exames para investigar se está tendo dengue hemorrágica.  Atualmente, a dengue é considerada um dos principais problemas de saúde pública de todo o mundo e existem quatro tipos diagnosticados da doença, já que o vírus causador possui quatro sorotipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4.

Alguns sintomas da doença são: febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, moleza no corpo, dores nas articulações. Adriana Ávila observa que a população alagoana ainda não está conscientizada sobre a questão da doença. Ela observa que muitas pessoas só se lembram de prevenir a infestação do mosquito quando há uma epidemia; quando passa, voltam a esquecer. Por esse motivo, a médica avalia que deveria haver mais campanhas educativas.

“Muita gente só se lembra da doença quando há uma epidemia, quando passa, esquece, aí cuida pouco. Avalio que deveria ter mais campanhas educativas e cotidianas: nas escolas e nos meios de comunicação, com cartazes, palestras, orientação nas praias, pois o mosquito está ‘mais sabido’ e não se prolifera mais apenas em água limpa”, observa.

As filas e a espera para o atendimento, o não reconhecimento do problema pelo médico, de imediato, são fatores que podem agravar o problema que, se for detectado com precisão e houver um rápido atendimento, há alta possibilidade de sobrevivência, segundo a infectologista. Ela pontua que às vezes o médico pode não tratar adequadamente o paciente, que precisa estar atento aos sinais de agravamento dos sintomas.

“Se os sintomas se agravarem é necessário o internamento hospitalar, o paciente precisa fazer o hemograma e todos os outros exames; mas, se para quem tem acesso fácil à saúde já é difícil, imagine para quem não tem e vem do interior”, diz. Adriana Ávila orienta que se a pessoa tem febre ou outro sintoma da doença procure logo um médico para confirmar o diagnóstico. “Às vezes não é preciso fazer o hemograma, mas se forem graves os sintomas, sim”, destaca.

A pessoa com dengue, segundo a médica, deve se hidratar com o aconselhamento médico. “O médico vai dizer a quantidade de líquido que o paciente deve tomar, segundo o seu peso; tomar água, chá suco, soro de reidratação, repouso. Não pode tomar refrigerante nessa fase, nem anti-inflamatórios e nem injeções”, pontua.

 Foto: Adailson Calheiros
Boletim Semanal da Sesau notifica 92 casos

O último Boletim Informativo Semanal Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), tabelado em 19 de agosto, indica que até o dia 10 do mesmo mês foram notificados 9.347 casos da doença no Estado e confirmados 4.181. O boletim também indica que estão sob investigação 3.125 e 2.041 foram descartados. Na última semana tabelada foram notificados 92 casos no Estado.

O boletim, que é expedido toda terça-feira, indica ainda que a faixa etária mais atingida pela dengue foi de 20 a 39 anos, com 29 casos (de 1º janeiro até o dia 10 de agosto), seguidos pelos de 40 a 59 anos, com 23 casos e de dez a 19 anos, 19 casos. Ainda segundo o boletim da Sesau, 17 crianças de um a nove anos foram afetadas pela doença no Estado. A amostragem por sexo do boletim indica que dos casos apontados, 53 foram de homens e 44 de mulheres.


Apesar da redução nos números de casos da dengue no Estado, 46 municípios foram noticiados com confirmação laboratorial, 49 estão com risco, 32 em alerta e em situação epidêmica estão três municípios: Penedo, Coité do Nóia e Maragogi, como mencionou Sandra Canuto. Na capital alagoana há risco de surto nos bairros de Cruz das Almas, Jatiúca, Mangabeiras, Ponta Verde, Pajuçara, Poço, Ponta da Terra, Complexo Benedito Bentes; em alerta estão o bairro do Prado, Ponta Grossa, Levada, Pontal da Barra e Trapiche.

sábado, 24 de agosto de 2013

O pensamento distrai

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Sonhei que estavas aqui: perto de mim.
Um sonho em que havia esperança,
De a gente ser um só; melhores,
 Unidos num mesmo pensamento,
Uma força de harmonia e contentamento.
Foi um sonho apenas, mas parecia real.
Daqueles sonhos que a gente sonha quando
Pensa que está apaixonado,
Embora não seja esse o meu caso.
Acordei...

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Passei o tempo...

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Passei todo o tempo esperando
Alguma notícia; algo importante,
Que me fizesse despertar
Uma emoção diferente...
Esperei, pacientemente, inutilmente, 
Sem resposta...Em silêncio profundo. 
Esperei um sentimento que me fizesse melhor
Do que fui ontem e do que sou, hoje...
Passei o tempo de espera e cansei.
Não preciso mais esperar por nada:
Preciso agir e ser melhor agora, isso me basta.

Projeto Fundação de Portas Abertas acontece em União



Assessoria

O projeto Fundação de Portas Abertas, da Fundação Cultural Palmares, chega a sua segunda edição com uma semana cultural intensa com atividades gratuitas em União dos Palmares. O encontro objetiva apresentar o espaço físico da entidade e promover uma reintegração entre quilombolas, estudantes e agentes culturais do Estado para difundir as ações de fomento e manifestações culturais negras. 

O evento vai de 26 e 30 de agosto com exposições de “Capoeira seus sonhos, lutas e liberdade” de autoria de Rafael Carneiro, além de apresentações de capoeira, oficinas de expressões culturais negras, hip hop, break, rap, exibição de filmes e debates sobre a contribuição do negro para construção da identidade brasileira. A cantora Janaína Martins, do Grupo União Espírita Santa Bárbara, fará apresentação inédita com um repertório específico a música afro. 

As ações do projeto serão realizadas na sede da Fundação Palmares, que fica localizada na Rua Antônio Honorato da Silva, 236, Centro. Já no dia 30 de agosto, a atividade acontecerá na comunidade Quilombola Muquém. 

Para a representante regional da Fundação Palmares, Maria José da Silva, o evento é uma oportunidade para atender jovens e grupos culturais da cidade que têm poucas opções de acesso à cultura. “Nossa intenção é fazer uma conexão da sociedade palmarina com a Fundação Palmares bem como deixar o público mais próximo das ações que são desenvolvidas nos escritórios da Palmares com sede no município. Oportunidade em que desenvolvemos trabalhos inéditos para que todos possam interagir e dar sugestões”, ressalta. 

A primeira edição do Fundação de Portas Abertas, foi realizada em maio deste ano, recebeu aproximadamente 150 pessoas entre alunos de escolas públicas e da universidade estadual, bem como representantes da Secretaria da Juventude e Cultura do município, vereadores, capoeiristas, representantes do movimento negro, blogueiros, jornalistas e sociedade civil. 


Serviço: 

O quê? Fundação de Portas Abertas 

Quando? De 26 a 30 de agosto 

Onde? Sede Fundação Palmares, Rua Antônio Honorato da Silva, 236, Centro, União dos Palmares 

Quanto? Grátis 

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

“Não podemos aceitar mais esse descaso com a saúde pública”, dispara Medeiros

Foto: Camila Ferraz
 Assessoria - Camila Ferraz
O deputado Ronaldo Medeiros (PT), usou a tribuna da Assembleia Legislativa durante a sessão desta quarta-feira (21), para apelar por soluções na saúde de Alagoas, de acordo com o parlamentar nem os medicamentos que obrigatoriamente devem ser entregues pelo Governo não estão sendo, “alguns alagoanos necessitam de insulina, por exemplo, e o Estado não está repassando, consequentemente as pessoas estão tendo que pagar pelo medicamento, o que é lamentável”.
O petista afirmou estar indignado com a situação degradante que se encontra a saúde em Alagoas, exemplificando, com o caso do Hospital de Palmeira dos Índios que já foi referência no Estado e hoje está abandonado.
“Hoje, os palmeirenses tem que se deslocar para Santana do Ipanema ou Arapiraca para serem atendidos. E o que me espanta, são essas propagandas do município de Maceió e do Estado, afirmando que está tudo bem com a saúde pública, quando a realidades são os postos de saúde de Maceió sem equipamentos básicos como as macas e sem médicos, quem necessita do SUS está fadado a morrer, não só aqui na capital mas também no interior do Estado”, observou o deputado Ronaldo Medeiros.
O parlamentar continuou alegando que deve se tomar uma medida drástica na área da saúde, pois a situação é crítica “ou não sei o que será dos alagoanos”. O petista observou ainda a questão das Unidades de Pronto Atendimento, as UPA´s, que segundo ele, a maioria não funciona.
“Nós temos aqui em Alagoas algumas UPA´s construídas, mas que simplesmente não funcionam, os prefeitos com suas manias de inaugurar obras solicitam uma unidade dessas ao Governo Federal mas simplesmente não as colocam para funcionar, a de Palmeira dos Índios está abandonada, Penedo funciona mas o prefeito está querendo entregar, Delmiro Gouveia também fechada, e nessas cidades têm hospitais, Delmiro tem um hospital que está jogado e preferiram investir na UPA que vai gastar cerca de 800 mil reais por mês, lá também tem uma UBS – Unidade Básica de Saúde, que está parada, são situações como esta que não poderiam existir em um Estado pobre como o nosso”, salientou Medeiros.
O parlamentar encerrou sua fala apelando para que o novo Secretário de Saúde do Estado reaja diante do “desastre” que é a saúde pública em Alagoas. 

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Iphan faz visita técnica à estação ferroviária de União; espaço será cedido ao município

Por João Paulo Farias – Texto e Fotos

O município de União dos Palmares terá o domínio da estação ferroviária da cidade, que está desativada há anos. O pedido de transferência foi feito ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, pelo prefeito Beto Baía e pela secretária de Cultura Genisete Sarmento.

Com a transferência para o município, o local será restaurado, revitalizado e transformado em espaço cultural.

 O projeto contempla, entre outras coisas, a transformação da estação em museu, construção de biblioteca, construção das sedes das secretarias de Cultura e Turismo e revitalização do mercado de artesanato, que já funciona no local.

Na manhã desta quarta-feira,21, a arquiteta do Iphan, Joelma Farias, esteve visitando a estação, onde fotografou o local que contém três prédios e um viradouro.

Acompanhada pela secretária de cultura, Genisete Sarmento e o assessor de planejamento de políticas públicas do município, Francisco Viana, a arquiteta disse que fará um relatório de levantamento da situação em que se encontram os prédios. Segundo ela, o processo de transferência não será demorado, principalmente porque a utilização do espaço será cultural.

Segundo a secretária Genisete Sarmento, além da restauração do espaço, será criado o Passeio de Trem, de União dos Palmares ao distrito de Rocha Cavalcante, “o empenho será grande para transformar esse local num espaço de cultura do município.

Em dezembro de 2014 completa 130 anos que a ferrovia foi inaugurada, quem sabe não estaremos reinaugurando a estação e o passeio à antiga Barra do Canhoto. Por enquanto é um sonho, mas vamos trabalhar o sonho e torná-lo realidade”, disse.










 
 

Quando falo...

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Quando falo de sentimento,
é daquela sensação boa
que  há dentro da gente
para dizer o melhor de nós.
Não quero falar daquilo que me oprime,
que não me traz alegria,
contemplação, respeito,
admiração, responsabilidade e maturidade.
Quero falar do melhor de mim,
do melhor da vida, que segue, apesar de tudo.

Quando falo de sentimento...

Projeto Literatura em Foco prossegue até sexta-feira, 23, em União

Editoria do blog

(Foto de João Paulo Farias)

Prossegue até a próxima sexta-feira, 23, o Projeto Literatura em Foco, do Educandário Olímpia Augusta dos Santos, em União dos Palmares, quando haverá a exibição de filmes produzidos pelos alunos da escola, baseados em clássicos da literatura brasileira. A festa de encerramento será às 20 horas, na sexta-feira, na Associação Atlética Banco do Brasil (AABB).

Na terça-feira, 20, a escola realizou um sarau literário  quando foi feita homenagens a quatro poetas da Terra de Zumbi: Emanuel Galvão; Paulino Vergetti Neto, Gonzaga Leão e Olívia de Cássia Correia de Cerqueira, que esteve presente à cerimônia.

Os demais homenageados não puderam comparecer e justificaram a ausência. A atividade teve a presença da comunidade escolar: pais, alunos e professores do educandário Olímpia Augusta dos Santos. Alunas do ensino médio declamaram as poesias dos homenageados, escolhidas pelos professores da escola.

O escritor Paulino Vergetti enviou seu filho para representá-lo; Emanuel Galvão estava participando de atividades do Mês do Folclore e Gonzaga Leão também teve outra agenda.

Antes das homenagens aconteceu uma palestra sobre literatura, ministrada por uma  professora representante da editora Positivo, de Minas Gerais, método adotado pela escola de União, e foi exibido o vídeo O Acendedor de Lampiões, uma homenagem ao poeta Jorge de Lima. O vídeo é interpretado pelo ator Chico de Assis e Ovídio Gurgel, de Marechal Deodoro.

O evento também contou com a musicalidade da cantora Elaine Kundera, que interpretou, entre a recitação das poesias, músicas de Djavan. No final Elaine continuou prestigiando o evento com sua voz inconfundível.
Nesta quarta-feira, 21, exposição de estandes da coleção Voe Alto com Zepelim, na própria escola, até as 17h.

Necessidade

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Eu escrevo como uma necessidade
De colocar para fora
Tudo aquilo que há em mim.
Escrevo para expulsar
Meus demônios,
Minhas angústias, tristezas,
E para expressar a alegria
Que há em mim...




terça-feira, 20 de agosto de 2013

Educandário Olímpia Augusta realiza o Projeto Literatura em Foco


Por João Paulo Farias – Texto e Fotos

O Educandário Olímpia Augusta de União dos Palmares realiza durante essa semana o Projeto Literatura em Foco.

O objetivo do projeto, segundo a direção da escola é que os alunos e professores desenvolvam diversas atividades em torno desta área de conhecimento.

A abertura da semana aconteceu na tarde desta segunda-feira, 19, com um desfile pelas principais ruas do centro. A banda fanfarra da cidade de Branquinha animou o evento.

















Segue abaixo a programação:
 

Conselho da Apa de Murici toma posse para o biênio 2013-2015

Por João Paulo Farias – Texto e Fotos
Secretário Macário abre cerimônia


O município de União dos Palmares sediou na manhã desta segunda-feira, 19, a cerimônia para empossar os 42 membros do Conselho da Área de Proteção Ambiental de Murici- APA. O evento reuniu representantes de seis dos nove municípios que compõem a maior área de proteção ambiental do Estado.

Segundo o presidente do Instituto do Meio Ambiente (IMA) em Alagoas, Adriano Augusto, é preciso um olhar dos gestores para essa Apa. “Somos muito pequenos para fiscalizar, temos que unir forças, o conselho é importante pois tem o papel de defender, denunciar e educar”, disse Augusto.

O presidente explanou a preocupação com os resíduos que poluem a Apa, principalmente no que se refere à contaminação dos lençóis freáticos: “Se continuar dessa forma, estamos à beira de uma catástrofe; o descarte inadequado dos resíduos causa muitos problemas”, destacou.

Para o secretário de Meio Ambiente de União dos Palmares, Macário Rodrigues, o conselho é um passo importante para preservação da natureza nessa região, incluindo as matas, rios e riachos. Ele lembra o trabalho de recuperação das nascentes que está sendo desenvolvido no município: “Hoje estamos recuperando junto aos produtores várias nascentes, esse é um dos nossos principais desafios”, disse.

Macário também destaca a preocupação com o aterro sanitário, já que foi feito um consórcio junto com 15 municípios, segundo o secretário, há duas áreas para serem vistoriadas e há recursos junto ao Governo do Estado e Federal para executar o projeto.

“Hoje União produz cerca de 60 toneladas de resíduos por dia, fora os entulhos e tudo isso vai para um lixão a céu aberto, que só pode existir até 2014”, enfatiza.

Representando a Reserva Ecológica Osvaldo Timóteo, que fica em São José da Laje, a secretária de Turismo de União dos Palmares, Jacineide Maia, esteve acompanhada do seu pai e fundador da reserva, o senhor Osvaldo Timóteo. Na ocasião, ela aproveitou para falar do potencial turístico ecológico que tem a região onde está a Apa: “A partir do conselho é importante amadurecer e implantamos as ideias”, disse ela.

Os conselheiros empossados para representar União dos Palmares, foram: titular, Juliana Mônica, assessora da Secretaria de Meio Ambiente e suplente, Madalena Soares, da Sala Verde Serrana dos Quilombos, Núcleo de Educação Ambiental da Secretaria de Educação.










 

Muquém comemora Dia do Folclore com diversas atrações

Por João Paulo Farias – Texto e Fotos

A comunidade quilombola do Muquém, localizada no município de União dos Palmares, comemorou neste domingo, 18, os festejos em homenagem ao mês do folclore. Na ocasião, várias atrações culturais animaram a tarde na comunidade: os grupos de capoeira, hip hop, coco de roda, samba de coco, percussão e reggae se apresentaram.

O projeto foi de iniciativa da Associação dos Remanescentes de Quilombo do Muquém e segundo o presidente, Aldo Delmiro, “o momento serve para resgatar a cultura local e transformar o local em ponto turístico”, disse.

O samba de coco, uma dança usada pelos quilombolas no passado para pisar o barro que serve para fazer as casas de taipa, voltou com muita força. A alegria contagiava as pessoas de todas as idades; dançar não era exclusivo para jovens: os mais velhos também mostraram que sabem sambar.
Além do samba, a banda de percussão Afro Nação Dandara mostrou toda sua força com os sons dos atabaques e as homenagens aos orixás. Um momento de integração, através da religiosidade de matriz africana.

Para a remanescente quilombola Albertina Nunes, o momento em que passa o Muquém é de bastante alegria. Segundo ela, há muitos anos que as danças tradicionais estavam esquecidas.

“Graças a Genisete (secretária de Cultura) e Carla (secretária de Saúde), resgatamos essa cultura , por meio do trabalho com os idosos; isso é uma conquista grande”, disse Albertina.

A secretária de Cultura, Genisete Sarmento, acompanhou todo o evento e destaca a iniciativa da associação em reunir a comunidade e a disponibilidade dos grupos culturais da cidade em contribuir com o momento.

“Vamos tentar fazer esse evento pelo menos uma vez por mês aqui no Muquém”, disse Genisete.

As secretarias de Educação e Assistência Social também participaram do evento. O grupo de hip hop do Espaço Cultural Acotirene – Esca e o grupo de dança, Bumba Meu Boi, do Centro de Referência de Assistência Social – Cras, do Bairro Padre Donald, animaram a comunidade.

























 
 

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Trend House faz homenagem ao artista plástico Delson Uchoa

Foto: Divulgação
Olívia de Cássia – Repórter

Hoje, 19, a partir das 20 horas, no Teatro Deodoro, acontecerá a abertura da sétima edição da Semana de Moda de Alagoas, a Trend House 2013, com uma homenagem ao artista plástico Delson Uchoa, eleito o maior artista plástico de van guarda da América Latina, com seu estilo impressionista e abstrato.
Delson será homenageado pela sensibilidade em lidar com a luminosidade de sol a pino, que potencializa as cores fortes do Nordeste, pela capacidade em lidar com formas (ora geométricas, ora orgânicas), pela habilidade de transformar o bruto em requintado e por ter na essência e na vocação uma alagoanidade aflorada.
Segundo o produtor de moda James Silver, 40 criadores alagoanos participarão da Sétima Semana de Moda de Alagoas, evento que é visto como a maior vitrine da moda para os criadores do Estado. Na terça-feira, dia 20 até sexta-feira, 23, haverá 25 desfiles com 90% de talentos alagoanos.  O encerramento do evento acontece em Penedo, no dia 23, às 15h com um desfile na Igreja das Correntes.
A  Trend House é considerada a quarta semana de moda mais influente do Brasil e contará com a participação da grife mineira Mary Design, a marca Cantão que apresentará peças das rendeiras do Pontal da Barra, talentos já conhecidos e novos conceitos da Terra dos Marechais.

domingo, 18 de agosto de 2013

Chove lá fora...

  
Olívia de Cássia - jornalista

Pancadas de chuva de vento invadem a varanda. Corro e fecho a porta, vou lá fora e troco os panos da casinha dos meus pets, para aquecê-los. Os gatos se mexem e correm de um lado a outro, fazendo festa com a mudança de tempo. 

É tempo de mudança; estamos sós. Eu, meus cães e meus gatos e o dia promete. Um dia de domingo daqueles que pedem muita leitura e aconchego. Se eu vivesse confortavelmente diria que é daqueles dias de a gente ficar embaixo de edredons, numa cama quente e vendo bons filmes. Mas essa não é a minha realidade.

Não reclamo da vida e nem da sorte, tenho mais é que agradecer a Deus por aquilo que eu tenho: não é muito, mas é o que me foi permitido até agora. Chove muito lá fora, mas aqui dentro está aquecido e isso já é uma dádiva divina.

Em pensamentos eu faço inúmeras viagens que eu não fiz de fato e penso nas fotos que teria feito em grandes passeios pelo mundo afora. Um passeio romântico num lago daqueles que a gente vê em filmes e nos livros, belas fotografias da paisagem, uma música romântica ao fundo e uma taça de vinho encorpada compõem a cena.

Meus gatos se chegam perto de mim, como se para dizer que querem fazer parte da cena; Malu Oto se acomodaram nos panos quentes e cochilam calmos. Janis Joplin se põe deitada na cadeira perto da televisão ligada. Só ela vê o noticiário esportivo do domingo.

A garganta dói um pouco, mas os espirros cederam. Ainda me ponho alérgica e esse incômodo é muito chato, não deixa a gente em paz, principalmente quando muda o tempo. Bruce Wayne e Aurora fazem carinhos mutuamente; é o amor dos dois que é infinito.

Mãe e filho que não desgrudam; mesmo já sendo um gato adulto, ele ainda mama nas tetas dela e ela o permite, carinhosamente. Coisas de mãe abnegada. Assim como as pessoas, no reino animal há mães que são impecáveis e minha Aurora é assim, dedicada.

Eles começam uma brincadeira agitada em cima da mesa e bagunçam tudo; coloco-os para correr e brigo para que se comportem direitinho. Meus domingos nem parecem de longe com os domingos de antigamente, mas a gente não pode ter tudo o que quer; faz parte da vida, que é uma roda vida, tudo gira e tudo se transforma.

A chuva faz aumentar o buraco que cresce em frente aqui de casa. Já ligamos várias vezes e até agora o serviço não foi feito. A cratera já tem mais de um mês e as ligações para quem de direito parece que ainda não incomodaram o bastante. Não sei mais que atitude tomar. Bom domingo e fiquem com Deus!

sábado, 17 de agosto de 2013

O lugar...

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Eu venho de um lugar onde
Existia gente de verdade
Gente que se importava com a gente.
Venho de um mundo de sonhos,
Sonhos são feitos para sonhar com o melhor.
Sonhei com um mundo ideal,
Mais justo, mais fraterno, mais igual.
Vivi meus melhores momentos
Sonhando com o melhor de mim.
Mas a vida segue em frente e tenho que caminhar
Querendo e lutando pelo melhor de mim.
Eu venho de um lugar...

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Policiais alagoanos cobram votação da PEC 300

Fotos de Olívia de Cássia
Categorias debateram a matéria em sessão da Assembleia Legislativa, com presença de deputados federais

Olívia de Cássia – Repórter

Os policiais alagoanos debateram no plenário da Assembleia Legislativa (ALE), na manhã desta sexta-feira, 16, a PEC 300, que está em tramitação na Câmara Federal desde 2008. A sessão foi de autoria do deputado Ronaldo Medeiros (PT).

O petista justificou a requisição da  sessão observando a vulnerabilidade dos policiais, que têm medo de que alguém saiba de suas identidades, porque moram no mesmo bairro que os delinquentes.

Medeiros observou que os policiais têm que ser tratados com respeito pelo trabalho que desempenham. “A PEC 300 vem fazer justiça a esses profissionais e foi isso que me motivou a propor a sessão pública. Nenhum policial queria ter outra atividade se fosse bem remunerado e tivesse um salário digno”, disse Medeiros.

O deputado Jeferson Morais (DEM) disse que a questão da violência já está se tornando cansativa na Casa de Tavares Bastos e que o Plano Brasil Mais seguro em Alagoas faliu. Morais denunciou o aumento da violência no Estado e disse que muita gente morre no HGE e não consta na estatística do Governo do Estado.

O major Fragoso, da Associação dos Oficiais Militares de Alagoas (Assomal) disse que a sessão foi muito importante porque vai fazer com que Alagoas encaminhe um documento para o governo federal e assim tenha algum retorno. Fragoso fez algumas críticas ao governo federal com relação ao trâmite da matéria no Congresso Nacional.

Ele disse que falta vontade política para que a emenda  seja votada e que a presença do PT na sessão foi muito importante. “A PEC 300 é um nome de fantasia, foi apensada à PEC 446 de autoria do presidente do Senado, Renan Calheiros; é necessário que seja votada com urgência, pois faz tempo que aguarda a votação”, observou.

O coronel Ivon Berto também falou da importância da  PEC 300, disse que a segurança pública não foi contemplada pelo pré-sal e que precisa de vontade política para isso. Já o deputado Paulo Fernando dos Santos (Paulão-PT) rebateu algumas críticas que foram feitas ao governo federal e disse que não dá para fazer um discurso eleitoral no momento.

 “A segurança pública é de responsabilidade do Estado; se a PEC não tiver apoio dos governadores não sai da Câmara Federal. Sou favorável que as categorias tenham salários dignos, mas elas não podem ficar  só na questão da PEC; o debate é mais profundo”, observou Paulão.

Vários representantes das categorias fizeram o uso da fala e destacaram a mobilização em todo o País com vistas à aprovação da matéria na Câmara Federal, com viagens a Brasília e reuniões diversas no Congresso Nacional com os deputados para que votem a matéria.

“Fizemos várias mobilizações e queria dizer que quem vota na emenda aglutinativa são os senadores e deputados federais. Sou defensor e partidário do PT; continuarei junto com as entidades lutando pela causa, mas infelizmente alguns poderes constituídos não querem a provação da emenda”, disse Wagner Simas.

No final da sessão foi tirado um documento que será entregue ao governo federal, Senado e Câmara, com as reivindicações das categorias que foram debatidas na oportunidade, para que a PEC seja votada com urgência, segundo o deputado Ronaldo Medeiros (PT).

Participaram da sessão:  os deputados federais Paulo Fernando dos Santos (Paulão-PT) e Mendonça Prado (DEM- SE), além dos deputados estaduais Judson Cabral (PT), Jeferson Morais (DEM) e o ex-deputado estadual Castelo, além do proponente da sessão, deputado Ronaldo Medeiros (PT), que presidiu a mesa.

Além dos parlamentares participaram ainda: o coronel Josivaldo Feliciano (comandante do Corpo de Bombeiros; sargento Jorge Vieira (Sergipe); sargento Marcos Ramalho (Corpo de Bombeiros); Wagner Simas (Associação dos Praças - Aspara); coronel Ivon Berto, major Vinicius, entre outros representantes do Corpo de Bombeiros Militares e dos  policiais militares.



Secretaria de Meio Ambiente começa reflorestamento no Riacho Canabrava

Por João Paulo Farias – Texto e Fotos

O projeto de reflorestamento da mata ciliar do riacho Canabrava, em União dos Palmares, começou a ser executado, desde a tarde desta quarta-feira, 14. Cerca de 100 mudas de árvores nativas de mata atlântica foram plantadas as margens do riacho.

Segundo o secretário Macário Rodrigues foram plantadas, espécies como as Ingazeiras, Sabonetes, Oitizeiras e Tamarindos.

“Essa é a primeira etapa do projeto de recuperação da mata ciliar do Canabrava, ao todo serão plantadas 500 mudas ao longo do riacho”, disse o secretário.

A área que está recebendo as mudas fica no Conjunto Newton Pereira, construído para abrigar as vitimas das enchentes de 2010. No local está havendo um alargamento do riacho feito pela empresa que construiu o residencial, para evitar novos alagamentos.

Secretário Macário acompanhou o plantio

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Deputado Ronaldo Medeiros participa da assembleia dos agentes penitenciários

Por Olívia de Cássia - Ascom
(Fotos de Camila Ferraz)

Na manhã desta terça-feira, 13, o deputado Ronaldo Medeiros (PT) participou da assembleia convocada pelo Sindicato dos Agentes Penitenciários de Alagoas - Sindapen, para repassar aos demais agentes o que ficou acordado com o governo na reunião de ontem.

Depois da mobilização dos trabalhadores e da negociação com o governo, a princípio, será repassada uma bolsa qualificação no valor de 600 reais mensais e os outros 400 reais será dividido em dez parcelas, totalizando o aumento de mil reais.

“Além disso, também ficou acordado que todos os agentes que estão em outras funções deverão voltar o quanto antes a exercer suas atividades, o concurso público e o plano de cargos continuará em pauta e será aberta uma mesa de negociação direta entre o sindicato e o Estado. Reafirmei o meu compromisso com a categoria e estarei vigilante no cumprimento dessas ações”, observou o deputado.

CONHEÇA O CASO

Os agentes penitenciários alagoanos suspenderam a greve iniciada no sábado, 10, no Sistema Penitenciário, depois de uma longa negociação entre a Secretaria de Defesa Social, o Governo do Estado, o Sindicato dos Agentes Penitenciários de Alagoas (Sindapen) e a parceria do deputado Ronaldo Medeiros (PT), que desde o sábado acompanhou as negociações da categoria.

A decisão da suspensão da greve, segundo o presidente do Sindapen, Jarbas Sousa, foi tomada em assembleia dos agentes, realizada nesta terça-feira (13), para apreciar os termos da negociação e decidir sobre a manutenção ou fim da greve, que suspendeu no final de semana os serviços da categoria e a interrupção das visitas aos presos no sistema prisional.


Os agentes deram uma trégua no sábado, depois de uma conversa com o secretário Dário César e o deputado Ronaldo Medeiros e resolveram abrir o sistema prisional para as visitas do Dia dos Pais, com o compromisso de participarem de uma reunião com o governador na segunda-feira, 12 e, na terça, realizarem uma assembleia para analisar as propostas apresentadas pelo governo.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Sufocamento...

Olívia de Cássia - jornalista

Acordo com mal-estar: é a madrugada de segunda-feira que chega, me sufocando a respiração. Tento aumentar o volume dos travesseiros para voltar a dormir lembrar do sonho recente, mas em vão.
O esforço foi inútil, a sensação de incômodo continua e levanto para preparar o velho e costumeiro chá, para tentar me aliviar disso. O sono, nessas alturas, já foi embora. Sinto calor apesar da ameaça de chuva lá fora.

Vou engolindo o chá devagar, torcendo para que faça o efeito desejado e daqui a pouco eu volte a dormir. Tenho muitas tarefas logo mais e preciso estar inteira para cumpri-las. São os incômodos da velhice que vão surgindo com o tempo, nos alertando para as nossas fragilidades.

Não quero me tornar uma velha rabugenta, ninguém vai me suportar. Será que serei assim? Não quero ser um estorvo na vida de ninguém; quando a gente é sozinha tem que aprender a conviver com isso. Os sinais dos tempos são implacáveis e estão aí para nos mostrar isso.

Tenho a sensação de abrandamento, aos poucos, da minha agonia. Bruce Wayne e Aurora levantaram quando viram que eu não estava mais na cama e agora estão aqui do meu lado. Ele mais perto, por trás da tampa do notebook, e ela na cozinha olha para os lados, como se buscasse alguma ajuda.

Malu e Oto dormem lá fora, na casinha deles, foi um alívio essa aquisição. A nova casinha os protege da chuva e do frio e não me sinto mais culpada por acomodá-los ali. Meus filhotes são meus companheiros do dia-a-dia. Me confortam e me dão carinho, são meus grandes amores.

O corpo todo dói; a perna direta, depois daquela queda e do acidente, não é mais a mesma, está sempre com aquela dorzinha cansada, apesar de já ter um tempo dos dois incidentes. Quando chega a idade, as limitações vão nos indicando que precisamos seguir alguns passos diferentes na vida.

A caneca de chá vai se esvaziando e meus pensamentos flutuam; não sei se voltarei a dormir em seguida, pois o sono já se foi. Apesar da tosse, me sinto melhor. Aurora me olha com aquele olharzinho preocupado e fixo em algum ponto que não consigo identificar.

Será que os gatos são sábios? Eu acredito que eles têm uma percepção especial das coisas, devem ser anjos que chegam para estar ao nosso lado, como que para dizerem que não estamos sóis.

O chiado no peito vai se acalmando, o calor é intenso agora, pelo efeito do chá de hortelã, gengibre e limão. Tento acreditar que vai ficar tudo bem, apesar desse peso nas têmporas. Será que todo velho tem isso ou só é um privilégio meu?

Vou tentar me acalmar, é preciso perseverança, acreditar no melhor e dar o melhor que eu posso para que meu trabalho flua tranquilo como precisa ser. Fiquem com Deus.


Governo realizará Conferência da Igualdade Racial




Agência Alagoas  
O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Mulher, Cidadania e dos Direitos Humanos, realiza no período de 19 a 20 a III Conferência Estadual de Promoção da Igualdade Racial. O evento acontece no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Jaraguá, e encerra o ciclo de conferências preparatórias para fase nacional.

O evento apresentará como tema “Democracia e Desenvolvimento por uma Alagoas A?rmativa” e será presidido pela Secretária de Mulher, Cidadania e dos Direitos Humanos, Kátia Born, e coordenado pelo superintendente de Políticas de Promoção da Cidadania e dos Diretos Humanos, Geraldo Majella.

A abertura começa às 19h da segunda-feira (19) com apresentação cultural da Federação de Capoeira do Estado de Alagoas (Feceal). Em seguida o secretário-executivo da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Giovanni Benigno Pierre da Conceição Harvey, proferirá palestra sobre o tema “Democracia e Desenvolvimento sem Racismo: por um Brasil Afirmativo”. Depois haverá apresentação do Grupo de Dança Afoxé Oju Omin Omorewa.

Os trabalhos serão retomados no dia 20 (terça-feira) pela manhã com plenária de discussão e aprovação do Regimento Interno.

Na sequência, será realiza Mesa Temática abordando quatro eixos: Estratégias para o Desenvolvimento e o Enfrentamento ao Racismo; Políticas de Igualdade Racial no Estado e no Brasil: avanços e desafios; Arranjos Institucionais para assegurar a sustentabilidade das Políticas de Igualdade Racial - Sinapir (órgãos de promoção da igualdade racial, fórum de gestores, conselhos e ouvidorias); e Participação política e controle social: igualdade racial nos espaços de decisão; mecanismos de participação da sociedade civil no monitoramento das políticas de igualdade racial.

A programação prossegue à tarde com a formação de grupos de trabalhos temáticos para apresentação de propostas e escolhas das pessoas que comporão a delegação que representar Alagoas na III Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial a ser realizada no período de 5 a 7 de novembro de 2013, em Brasília, Distrito Federal.

Foram realizadas conferências regionais nos municípios de Água Branca (que abrangeu a região do Sertão e bacia leiteira), União dos Palmares (que envolveu toda Zona da Mata), Arapiraca (atingindo toda parte do Agreste e Baixo São Francisco/Sul) e Maceió (regiões Metropolitana e Litoral Norte).

Ainda tenho esperança

Por Olívia de Cássia Cerqueira O dia amanheceu com mais uma promessa de vida. É sexta-feira, dia de alegria, como todos devem ser: de agr...