Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2014

Estresse ocupacional final de ano pode gerar problemas de saúde

Imagem
Estudo indica que 70% dos trabalhadores vivem no limite
Olívia de Cássia – Repórter
 O estresse ocupacional é assunto sério e pode acarretar problemas  de saúde ao trabalhador, como falta de produtividade; custos para as empresas e impactos na sociedade. Dados recentes de um estudo indicam que 70% dos trabalhadores brasileiros tendem a ficar mais estressados no final do ano. 
O motivo desse resultado são as temidas metas e balanços do fim de ano das empresas e esse é o período de avaliar o que está faltando para bater as metas e correr atrás para fechar o ano positivamente.
Pesquisas apontam que pessoas submetidas a longas jornadas estressantes de trabalho tendem a ter problemas comportamentais graves.  No final do ano, devido a essas atividades que têm que cumprir, com ultimatos para balanços e tarefas indispensáveis, esse processo é mais acelerado.
Os bancários são a categoria que mais sofre com jornadas extenuantes de trabalho, principalmente no cumprimento das metas de fim de ano.…

Em clima de final de ano, capital alagoana se enfeita para o Natal

Imagem
Igreja lembra que símbolo da data é o Menino Jesus e que o Papai Noel é apenas uma representação capitalista (fotos: Adailson Calheiros)
O / Tribuna Independente
A pouco menos de um mês para as comemorações do Natal, o clima natalino está nas ruas, nas praças, no comércio, na orla e nos shoppings da capital alagoana. Os maceioenses já estão se antecipando às compras e ornamentações de suas casas e lojas com vistas à festa que comemora o nascimento do Menino Jesus: ruas iluminadas, com ornamentações de Papai Noel, árvores de Natal e outras simbologias do mundo moderno. ADVENTO O padre Alex Sandro da Silva, da paróquia de Maragogi, alerta que a igreja entra neste sábado no período do advento: “O advento é o primeiro tempo do Ano litúrgico, que antecede o Natal. Para os cristãos, é um tempo de preparação e alegria, de expectativa, onde os fiéis, esperando o nascimento de Jesus Cristo, vivem o arrependimento e promovem a fraternidade e a Paz”, explica. No calendário religioso…

Em 25 de novembro...

Imagem
Olívia de Cássia – jornalista
Em 25 de novembro comemorou-se o Dia Internacional de Combate à Violência contra a Mulher, instituído no Primeiro Encontro Feminista da América Latina e Caribe realizado na cidade de Bogotá em 1981, para homenagear Minerva, Pátria e Maria Tereza, heroínas da República Dominicana, brutalmente assassinadas em 25 de novembro de 1960. Em todo o mundo nessa data ocorreram eventos pelo fim da violência contra mulher. No Brasil, foi um momento de reafirmação da Lei Maria da Penha e a reivindicação de todas as políticas públicas que visem o fim da violência. Foi mais um dia para a gente pensar e refletir em como ainda falta muito para que tenhamos  um mundo melhor e de afetividade, sem preconceitos, sem extremismos em que a mulher ocupe o lugar que lhe é de direito. A luta feminina pela igualdade de condições vem desde o início dos séculos e precisamos acabar com a violência de gênero, ainda imposta na sociedade. A violência doméstica ainda é um entrave na vida de mu…

Depende de quem?

Olívia de Cássia Correia de Cerqueira

Por entre fatos,
ideias e coisas
Vou seguindo
o meu caminho.
Ora pensativa,
ora indignada
E por vezes perplexa.
A gente tenta
fazer o melhor,
Mas, muitas vezes,
não depende
só da gente.
Depende
de pessoas,
situações,
depende
 de quem?

De efeito avassalador, o crack é sete vezes mais potente que a cocaína

Imagem
Foto: Adailson Calheiros
Sintomas vão de dores de cabeça a alucinações e euforia, entre outras sensações
Olívia de Cássia - Repórter Tribuna Independente
O crack surgiu no Brasil na década de 1990 e é uma das drogas mais avassaladoras da atualidade. Para vencê-lo é preciso que o dependente químico tenha coragem, força de vontade, determinação e, sobretudo, o apoio da família. De cinco a sete vezes mais potente do que a cocaína, essa droga é também mais cruel e mortífera, porque vicia logo no início de seu consumo. Sintomas como dores de cabeça, tonturas e desmaios, tremores, magreza, transpiração, palidez e nervosismo atormentam o usuário de crack. Outros sinais como euforia, desinibição, agitação psicomotora, taquicardia, aumento de pressão arterial e transpiração intensa, além de queimaduras nos lábios, na língua e no rosto pela proximidade da chama do isqueiro no cachimbo, no qual a pedra é fumada são percebidos de imediato. Marcos José Morais tem 29 anos, é casado, tem dois filhos e …

Grupos culturais, movimento negro e ativistas celebram a consciência negra

Imagem
Fotos Olívia de Cássia
Olívia de Cássia – Repórter
Uma festa que contou com a participação de artistas, grupos culturais, de capoeira, autoridades e religiosos, cortejo de pessoas da religião de matriz africana, políticos, entre outras tribos participaram da festa do 20 de novembro, Dia Nacional da  Consciência Negra, celebrado desde as primeiras horas da manhã na Serra da Barriga, em União dos Palmares.  
O dia foi de celebração e comemoração em homenagem ao líder da resistência negra, Zumbi dos Palmares e também lembrou o centenário de Abdias Nascimento, teatrólogo, escritor e defensor da causa dos povos negros. A programação contou com várias atividades religiosas e culturais.
Na madrugada os grupos religiosos fizeram uma cerimônia em homenagem aos orixás; um cortejo vindo da jaqueira onde os povos de matriz africana cantam e celebram com flores, canto e dança e depois coloraram flores aos pés da estátua do homenageado rei dos Palmares, Zumbi.
A   Iyalorixá Mãe Neide Oyá D'Oxum, do …

Mais um 20 de novembro para refletir

Imagem
Olívia de Cássia - jornalista
E chegamos a mais um ano comemorativo à consciência negra no Brasil, quando se festeja o líder da revolução do Quilombo dos Palmares, ícone da luta pelos direitos dos negros no país, o herói da liberdade Zumbi dos Palmares, lembrado na quinta-feira, 20 de novembro.  
O Dia da Consciência Negra é de festa para o povo negro, para quem defende os direitos humanos, a democracia, a liberdade e a cultura, mas também é de reflexão e este ano tem que ser um pensar mais profundo diante de tantos acontecimentos racistas, intransigentes, reacionários e retrógrados que se deram no processo eleitoral brasileiro deste ano  e que ainda persiste por esses dias.  
Depois de muitos séculos desse grito de liberdade dado por nosso herói Zumbi, em defesa da liberdade e contra a escravidão, parece que uma parte da sociedade brasileira está embrutecida e retrocede em algumas questões do pensamento e de ações. Lamentavelmente não só adultos, mas jovens também.  
Por muito tempo…

A arte de colecionar dinheiro

Imagem
Foto: Olívia de Cássia

Olívia de Cássia – Repórter
O bancário Petrúcio Manoel Correia de Cerqueira é alagoano de União dos Palmares e atualmente mora em Maceió. Ele tem um hobby interessante e ainda raro em Alagoas:  é colecionador de cédulas, antigas e atuais há 28 anos, desde 1986,  época do Governo Sarney, quando o Brasil vivia uma situação delicada no início da Nova República e houve a substituição da moeda corrente do país, do cruzeiro para o cruzado.
“Comecei a colecionar em 1986, no governo Sarney, quando começou a mudança do padrão monetário do Brasil; eu era caixa do Banco do Brasil e começaram a aparecer cédulas estranhas; fiquei curioso e resolvi começar a colecionar. Aí fui ampliando a coleção,  pegando gosto pelo negócio  e hoje tenho cédulas de 120 países, de todos os continentes; são mais de mil”, observa.
A numismática é uma área extremamente interessante para quem quer ampliar seus conhecimentos. Colecionar cédulas e moedas é uma verdadeira arte. E se pode aprender m…

Davi da Silva

Imagem
Mirabel Alves Secretário da Comissão de Direitos Humanos da OAB/AL
Faz mais de setenta dias que o adolescente Davi da Silva desapareceu, após uma abordagem feita por uma guarnição da Polícia Militar de Alagoas, fato ocorrido em 25 de agosto do corrente. Esse fato choca e preocupa exatamente porque envolve membros da segurança pública que deveriam agir no mais estrito cumprimento da lei, mas, infelizmente nem sempre é o que ocorre.
Afirmamos isso porque se a guarnição tivesse agido da forma legal, o adolescente Davi estaria hoje são e salvo e, caso tivesse cometido qualquer ato infracional estaria respondendo por ele nos termos do Estatuto da Criança e do Adolescente. Infelizmente criou-se um fosso entre os fatos ocorridos e a verdade real que necessita vir à tona.
A legislação brasileira, aliás, muito extensa, garante a todos nós o direito de sermos acusados e julgados nos termos da lei com o exercício da ampla defesa e do contraditório, o que garante ao Davi e demais adolescentes e a t…